Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



AS NOVAS RECRUTAS

por LA DIVA, em 28.08.14

‘Maria, querida!’

A mulher torpedo tinha avançado sem que tivéssemos dado por ela. Ignorou-nos às duas, a mim e à Raquel.

 

O alvo era a Camila.

 

‘Adorei a sua crónica sobre a depilação genital. Foi sensacional!’

 

Esfregou a bochecha direita, empoada de blush rosa vivo, na bochecha esquerda da Camila. Atrás dela apareceu uma cara vivaça de rapaz, embrulhada numa barba de dois meses.

 

‘O Fred adorou o resultado, não foi querido?’

 

A mulher cofiou-lhe os pelos pretos. O rapaz era um bocado novo e ainda não devia ter vivido o suficiente para ter aprendido a pôr os dedos dele a pensar em cima da própria barba.

 

A mão da mulher deslizou da barba para o rabo do rapaz, mas subiu logo um bocadinho, de maneira que foi encaixar-se na cintura dele.

 

Ele também pendurou a mão na cintura dela e assim já pareciam mais ou menos amantes descarados.

 

As bochechas da Camila ficaram um bocado vermelhas demais. Talvez fosse do blush da outra, só que a mulher só tinha tocado numa bochecha da Camila.

 

E as da Camila estavam ambas muito vermelhas.

O rapaz da barba de dois meses fartava-se de galar a Raquel, não tirando a mão da cintura da outra.

 

‘Camila, e sobre que é que foi a tua crónica?’, perguntei.

‘Ora, que haveria de ser, o rapanço dos pelos púbicos, está visto’, disse a Raquel, sarcástica.

 

A mulher ficou toda contente por causa da deixa da Raquel.

‘Oh, foi tão sensual! E adorei ver-me assim como uma menina, sem pelos. O Fred também, não foi, Fred, querido?’

 

De repente, a Raquel desatou a rir.

 

 

 

A mulher empalideceu. O rapaz olhava babado ainda para a Raquel.

 

A Raquel não parava de rir. Por fim, quando já estava farta de tanto rir, disse:

 

‘Desculpe, mas realmente fazem um par irresistível. Extraiu os pelos da sua vagina, mas, em compensação, o seu namorado fez uma extensão aos pelos em volta da boca dele.’

 

Dei uma valente pisadela na Raquel.

A Camila explodiu:

 

‘És mesmo ordinária, Raquel!’, e saiu a correr do bar, envergonhada, certamente.

Fiquei com pena dela. A Raquel tinha acabado de a enxovalhar em público.

 

‘Qual quê! Não tenho é pachorra para estas gajas que levam as vaginas ao barbeiro para a máquina zero. Vaginas assim fazem-me lembrar os recrutas da tropa antes de irem para o massacre de uma guerra insana qualquer.

 

O rapaz da barba de dois meses ergueu a mão em direção à Raquel.

 

Antes de ele perceber o que estava a acontecer, o punho em gancho da Raquel tinha ido embater-lhe por baixo do maxilar.

 

‘Nem as barbas sabes usar, grande parvalhão.’

 

Os seguranças do bar já se aproximavam.

Então, a Raquel fez o seu sorriso mais sexy e disse:

‘Já estávamos a sair, não é Diva?’

 

Site Meter

publicado às 14:52



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D