Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A FESTA DAS LOLITAS

por LA DIVA, em 19.08.14

A primeira vez é um mito.

Como todo o mito, só interessa porque é mito, de resto, é o nada que é tudo, como escreveu o  Fernando.

 

Então porquê tanta preocupação com a primeira vez?

Vá-se lá saber. Ele há cada uma!

 

Lolita começa assim:

 

1º parágrafo:

Lolita, luz da minha vida, fogo da minha virilidade. Meu pecado, minha alma. Lo-li-ta: a ponta da língua faz uma viagem de três passos pelo céu da boca abaixo e, no terceiro, bate nos dentes. Lo. Li. Ta.

 

Querem mais? Leiam:

 

2ª parágrafo

Pela manhã, um metro e trinta e dois a espichar dos soquetes; era Lo, apenas Lo. De calças práticas, era Lola. Na escola, era Dolly. Era Dolores na linha pontilhada onde assinava o nome. Mas nos meus braços era sempre Lolita.

 

Ontem, se estivéssemos em 1958, era o dia em que Lolita foi publicado pela primeira vez em língua inglesa. Um escândalo que, em poucas semanas, vendeu 100.00.

 

 

 

E eu só soube dessa data porque a Carlota me disse.

 

A Carlota tem a idade da Lolita quando o Humbert Humbert a conheceu.

A Carlota tem 12 anos e leu Lolita aos 11.

 

E, depois, fez-me um pedido adorável:

 

Diva, no fim de semana vou dar uma festa de Lolitas. Ajudas-me a maquilhar como uma diva dos 1950s?

 

Que me assustou de morte.

 

Uma festa de ... lolitas? A tua mãe sabe? Já tens idade... ? O que é que vão fazer na festa? Quem é que vai?

 

Foi então que ela me disse que a festa de Lolitas não era uma sessão de leitura entre menin@s, era só o pretexto para uma festa colorida, tipo rainbow, ‘tás a ver, Diva?

 

A Carlota pode já ter lido Lolita aos 11 anos, mas ainda é uma miúda que precisa que a ensinem a maquilhar.

 

A Carlota pode precisar que eu lhe ensine alguns truques de maquilhagem de diva, mas é uma miúda muito perspicaz.

 

Diva, dahhhh!... Rainbow, ‘tás a ver? Rainbow, pulseiras de plástico. Pulseiras de plástico, negócio.

 

Depois, disse:

Diva, não te preocupes, se algum dos namorados da minha mãe tentasse tocar-me, assentava-lhe logo com os pés nos tomates. E a seguir furava-lhe os olhos com um lápis afiado.

 

Talvez eu nunca chegue a saber qual a importância que a primeira vez da leitura de Lolita teve, ou terá, nesta ninfeta.  

 

Mas sei como afetou a mãe dela saber que a sua ninfeta já tinha lido Lolita e estava pronta para uma festa de Lolitas.

 

Ficou histérica.

 

A mãe da Carlota é a Camila.

 

A Camila pode bem continuar histérica até amanhã. É para aprender a enfrentar a realidade e não andar a esconder-se atrás da Maria. Pode ser que lhe passe e fique, então, em condições de falar comigo. Se não quiser, vá consolar-se nos braços da outra, a Pesca (quase)Tudo. E, enquanto preparo a lição de maquilhagem para a Carlota, que até vem a calhar porque eu já tinha há dois dias prometido explicar como se faz um pancake de diva, podem espreitar este filme aqui, a Lolita do Stanley Kubrick & (re)ler o livro depois. Em alternativa, se não estão para essas coisas, podem ir fazer pulseiras de plástico. Está na moda e as garotas é que sabem. Se não tiverem habilidade para o crochet, há montes de sites na net. É só procurar ‘rainbow loom’ e voilá.

 

Ou, então, vão para a cama, que faz bem à beleza, sobretudo, das garotas.

 

A Lolita de Stanley Kubrick:

 

 

 

http://youtu.be/B0qcNmnr2KE

Site Meter

publicado às 10:04


1 comentário

De miak a 19.08.2014 às 15:24

A incontornável lolita. Por muito que tentem não dizê-lo ou discuti-lo.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D